Assassino de John Lennon revela porque cometeu o crime

Em dezembro de 1980, Mark David Chapman assassinou o músico britânico John Lennon na entrada do edifício onde o artista vivia, em Nova York.

Por diversas vezes, desde então, Chapman tentou obter a liberdade e na sua última tentativa, diante de um tribunal de avaliação, ele descreveu o crime em detalhes.

“Pela manhã encontrei o ex-Beatle e pedi um autógrafo. Ele assinou a capa de um álbum e perguntou se eu queria mais alguma coisa.” – contou o assassino. “Sua esposa o esperava em uma limunise e eles saíram. Voltei a noite com uma pistola e quando Lennon passou por mim, disparei vários tiros em suas costas.”

Mark David contou ao juri que fez isso na intenção de “ser famoso.” A comissão de juristas ouviu, além da admissão de culpa, a declaração do próprio Chapman de que tem uma mente sociopata.

A comissão rejeitou o seu pedido com o fundamento de que o crime foi premeditado com o desejo de querer ser famoso. Chapman pode ter uma nova audiência para rever o seu caso dentro de dois anos. Será a décima tentativa de conseguir a liberdade.

 

Imagem destacada: Reprodução / ABC News

Com informações de RT e The Telegraph

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo WhatsApp (83) 9.9166.6272.

Vlamir Duarte

Vlamir Duarte

Graduando em Rádio & TV, natural de Bananeiras, apaixonado por artes, fotografia e formas de instigar o pensamento. No Portal Livre iniciei minha experiência profissional como redator, tendo depois exercido o cargo de chefe de reportagem e colunista. Escrever sempre foi meu hobby, contestar a melhor maneira de aprender a lutar por uma imprensa livre e isenta.

Comentários

Loading Facebook Comments ...