Chuvas agravam a erosão da barreira do Cabo Branco e turistas e comerciantes reclamam da situação de abandono

A erosão continua desgastando a barreira do Cabo Branco, em João Pessoa. Se não bastasse a força do mar, as últimas chuvas que caíram na capital aumentaram os problemas da falésia. O local não dá mais segurança a pedestres, turistas e comerciantes. O que se vê são constantes reclamações. “Absurdo, as providências só ficam no papel. Estamos a cada dia perdendo clientes. O turista tem nos abandonado. O que vemos é a interdição de trechos e o mar levando cada vez mais esta tradicional barreira. Estamos pedindo socorro”, desabafou o comerciante Edmilson Ferreira da Silva, que vende produtos artesanais próximo ao Farol do Cabo Branco.

Edmilson Ferreira fez questão de apresentar o perigo iminente que correm as pessoas ao se aproximarem da barreira. “Isto é muito perigoso. A chuva e o mar estão destruindo a barreira do Cabo Branco. Algo tem que ser feito urgente”, disse o comerciante, que continuou reclamando: “se tem recursos para investir em outras coisas, mas, na correção da barreira do Cabo Branco e em nosso turismo, pouco a prefeitura faz”. As reclamações não partem apenas de Edmilson.

O comerciante do ramo de coco, Abdias Alves de Lima até que sugeriu para solucionar o problema da erosão na barreira. “Um quebra-mar seria o viável. Os órgãos deveriam fazer um muro de concreto maciço com três metros de profundidade puxando em direção a barreira. Aí sim, o problema seria resolvido, mas, não sei por que não fazem isso. Não sou engenheiro, mas acredito que resolveria. O problema é que eles alegam não terem dinheiro”, afirmou.

O turista, por sua vez, parece não se preocupar muito com o problema da erosão, bem como com sua segurança física. Com frequência, eles são vistos no local e se aproximam da extremidade da barreira para fotografias, mesmo havendo placas sinalizadoras da Defesa Pública impedindo o acesso. “Não dá pra ir embora da Paraíba e não tirar uma fotografia nesta barreira. A visão é muito bonita. Dá pra ver praticamente toda a cidade”, afirmou Ângela Holmes Aguiar, natural de Curitiba, com familiares no bairro de Manaíra, em João Pessoa. “Sempre que venho a João Pessoa, procuro a Ponta do Seixas, pois, apesar de tanto descaso, ainda é um dos pontos mais bonitos da cidade”, acrescentou.

Versão da prefeitura – Na manhã de ontem, praticamente ninguém da Prefeitura Municipal de João Pessoa quis falar sobre o projeto de contenção da erosão na barreira do Cabo Branco, que dizem está em andamento, concluído por técnicos da Secretaria de Planejamento e sob a fiscalização da Secretaria de Infraestrutura. Desde 5 de fevereiro deste ano, obras de drenagem estão sendo executadas nas imediações da Estação Ciência, onde “todos” alegam se tratar da “drenagem da barreira”. As obras, no entanto, têm o objetivo de corrigir falhas de drenagem na área continental da falésia, regulando o escoamento das águas que agravam o processo de erosão de um dos principais pontos turísticos da capital. “Apesar de ser secretário-adjunto de Planejamento, pouco falo sobre o assunto. Tudo está a cargo da secretária titular”, disse Fábio Sinval. A titular da pasta, secretária Daniella Bandeira de Miranda Pereira foi procurada, mas sua assessoria informou que a mesma não poderia atender, pois se encontrava em reunião.

 

Imagem destacada: Reprodução Internet.

Foto PB AGORA.

 

Fonte: PB AGORA.

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo WhatsApp (83) 9.9166.6272.

Gilson Alves

Gilson Alves

Radialista DRT: 1.743 - PB e Jornalista DRT: 3.183 - PB. Diretor Geral do Jornal A Página.

Comentários

Loading Facebook Comments ...