qua. nov 14th, 2018

Ex-governador do Paraná e candidato ao Senado, Beto Richa é preso em Curitiba

Tucano também é alvo de fase da Operação Lava Jato, que apura denúncias de corrupção ativa e passiva, fraude à licitação e lavagem de dinheiro; veja

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso na manhã desta terça-feira (11) pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em Curitiba, no Paraná. A esposa do atual candidato tucano ao Senado também foi detida, ambos no prédio onde eles moram, na capital paranaense.

A polícia deixou claro que Beto Richa é alvo de duas operações nesta manhã. Na operação em que foi preso, o tucano é investigado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) sobre o programa Patrulha Rural. Ele foi preso temporariamente e deve ficar detido por cerca de cinco dias.

Nesta mesma operação, foram presos Fernanda Richa, esposa do ex-governador e ex-secretária da Família e Desenvolvimento Social, Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete de Richa, Pepe Richa, irmão de Beto e ex-secretário de Infraestrutura, Ezequias Moreira, ex-secretário de cerimonial de Richa, e Luiz Abib Antoun, outro parente do ex-governador.

Segundo a TV Globo , com exceção de Antoun, preso em Londrina, no norte do Paraná, os demais foram presos em Curitiba . Todas as prisões são temporárias.

Beto Richa é alvo de mandado de busca e apreensão da Lava Jato

Na segunda operação em que é alvo, o ex-governador tucano aparece envolvido em uma nova fase da Operação Lava Jato. Essa é a 53ª etapa da Lava Jato e, nela, Richa é alvo apenas de um mandado de busca e apreensão, deflagrado em sua casa.

Apelidada de Operação Piloto, essa nova fase da Lava Jato foi deflagrada na Bahia, em São Paulo e no Paraná. O objetivo da ação é investigar o envolvimento de funcionários públicos e empresários com a empreiteira Odebrecht no favorecimento de licitação para obras na rodovia estadual PR-323.

Cerca de 180 policiais federais cumprem 36 ordens judiciais de busca e apreensão, de prisão preventiva e também prisão temporária em Salvador, São Paulo, Lupianópolis, Colombo e Curitiba – estas três últimas cidades no Paraná.

Eles apuram denúncias de corrupção ativa e passiva, fraude à licitação e lavagem de dinheiro. Um dos alvos da operação é o ex-governador do Paraná. As irregularidades teriam ocorrido em 2014 e envolvem o chamado Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht para beneficiar agentes públicos e privados no Paraná.

Em contrapartida, a construtora seria favorecida no processo de licitação para duplicação, manutenção e operação da rodovia estadual PR-323 na modalidade parceria público-privada.

Os advogados de Beto Richa ainda não se pronunciaram nem sobre a prisão do candidato ao Senado nem sobre o mandado de busca e apreensão, deflagrado na casa do tucano, pela Lava Jato.

 

 

Imagem destacada: Reprodução internet.

Facebook/Reprodução.

 

Fonte: AGÊNCIA BRASIL / IG.

Comentários

Loading Facebook Comments ...

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo WhatsApp (83) 9.9166.6272.