qua. nov 14th, 2018

Médicos ressaltam importância do Hospital Metropolitano para saúde dos paraibanos

O dia 4 de abril de 2018 será um “divisor de águas” na saúde dos paraibanos. Nesta data, será inaugurado o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, referência em cardiologia e neurocirurgia, que representa um investimento de mais de R$ 150 milhões, sendo 85% de recursos próprios do Governo do Estado. O atendimento na unidade será referenciado (encaminhado pelos municípios) beneficiando a população dos 223 municípios da Paraíba.

Médicos paraibanos ressaltam a importância da nova unidade hospitalar, que vai desafogar o atendimento de outros hospitais e proporcionar tratamentos com métodos avançados. O pediatra e diretor geral do Complexo Pediátrico Arlinda Marques, Cláudio Régis, explicou que, com o Metropolitano, o Arlinda ficará liberado para a pediatria geral. “Serão liberados sete leitos de UTI que, atualmente, são utilizados para cardiologia e neurocirurgia. Ou seja, o Arlinda manterá o seu perfil, que é fazer o primeiro atendimento e estabilizar os pacientes. Se o caso for de cirurgia, será encaminhado para o Metropolitano”, observou.

O neurocirurgião George Mendes, que coordenará a neurocirurgia vascular da unidade, ressaltou que o Hospital Metropolitano significará uma mudança de paradigmas no tratamento das doenças neurológicas. “Pacientes vítimas de Acidente Vascular Cerebral (AVC) vão ter a oportunidade de serem tratados por métodos avançados, diminuindo as sequelas, a exemplo de ficar em cima de uma cama ou até mesmo morrer”, disse.

Estrutura – O Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires contará com 226 leitos, sendo 60 de UTI (adulto e pediátrico), além de serviço de diagnóstico por imagem, ambulatório, UTI e UTI Coronariana e Centro Cirúrgico. O Hospital possui heliponto com 40 metros quadrados e capacidade para receber todos os modelos de helicópteros comerciais.

O Hospital vai iniciar o atendimento à população com 135 leitos, sendo 26 leitos de observação, 61 de internação, 40 de UTI, oito leitos de recuperação pós-anestésico e um centro cirúrgico com cinco salas destinadas à cardiologia e neurologia.

Serviços – Os serviços imediatamente disponíveis na unidade serão: diagnóstico por imagem, funcionando 24 horas; duas salas de radiologia convencional; duas salas de angiografia; duas salas de tomografia; uma sala de ressonância magnética; uma sala de ultrassom com Doppler e Ecodoppler Arterial; dois eletrocardiógrafos; dois ecocardiógrafos; uma sala de ergometria, eletroencefalograma e eletroneuromiografia; seis consultórios para ambulatórios em cardiologia e neurologia (pediátrica e adulto) internação; Unidade de Terapia Intensiva e Coronariana – 40 leitos, sendo 10 deles para pediatria e cinco Salas de Cirurgia.

 

Imagem destacada: Reprodução internet.

 

Fonte: PB AGORA.

Comentários

Loading Facebook Comments ...

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo WhatsApp (83) 9.9166.6272.