Prestadores de serviço de Bayeux denunciam cortes em pagamento de salários em outubro

Através de relatos em grupos de conversa na internet, os prestadores de serviço denunciaram ter recebido um salário muito abaixo do que tinham direito.

Vários prestadores de serviço que atuam na Prefeitura Municipal de Bayeux, na Região Metropolitana de João Pessoa, tiveram uma surpresa desagradável ao sacar seus salários referentes ao mês de outubro. O pagamento dos servidores contratados foi liberado na última sexta-feira (10).

Através de relatos em grupos de conversa na internet, os prestadores de serviço denunciaram ter recebido um salário muito abaixo do que tinham direito. Os servidores efetivos da prefeitura se solidarizaram com os prestadores de serviço.

Uma servidora afirmou em um grupo de whatsapp que recebeu apenas R$ 120 como pagamento do mês de outubro. Ela expôs sua indignação com os outros integrantes do grupo. “Só recebi R$ 120 reais. E agora? E o povo ainda falava de Berg. Berg pagava no dia e esse prefeito não pagou direito meu dinheiro e ainda me roubou”, afirmou.

No mesmo grupo, uma servidora relatou também que presenciou outros prestadores de serviço na mesma situação. “O povo na frente do banco faz dó. Tinha uma mulher que chorava tanto que se eu não estivesse devendo tanto eu teria dado esses R$ 485 a ela. Deu pena. É de partir o coração”, declarou.

Ainda não há informações sobre o total de prestadores de serviço que tiveram problemas em seu pagamento. Em entrevista à Rádio Jovem Pan João Pessoa, o secretário adjunto de planejamento, Paulo Neto, afirmou que pode ter acontecido algum problema na folha de pagamento.

“Creio que esse fato, como alguns outros que aconteceram, tenha sido realmente um erro. No dia 18, para adequar alguns contratos que não estavam assinados por Berg, e também a questão do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal o prefeito fez a quebra dos contratos de todos os prestadores de serviço. Teve um erro apenas, que nós já identificamos. Eu não sabia que tinha acontecido isso. Que a prefeitura possa responder o mais rápido possível, inclusive a essa servidora. Tentar identificá-la quem é para saber por que mesmo se ela trabalhou os 18 dias e foi desligada, o salário dela não é esse”, explicou o secretário.

Fonte: CLICK-PB.

 

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo WhatsApp (83) 9.9166.6272.

Gilson Alves

Gilson Alves

Radialista DRT: 1.743 - PB e Jornalista DRT: 3.183 - PB. Diretor Geral do Jornal A Página.

Comentários

Loading Facebook Comments ...
Recomendado
Recomendado
Interessados devem ir até o CAM com RG, CPF e certidão negativa…