“Retorci e puxei”, diz jovem que arrancou os próprios olhos após o uso de drogas

Kaylee Muthart passou a ter alucinações com Deus ao usar metanfetamina, precisou passar um bom tem internada e agora aprende a viver sem a visão.

O uso de drogas ilícitas fez a jovem americana Kaylee Muthart, de apenas 20 anos, perder a visão de modo trágico. No dia 6 de fevereiro deste ano, ela foi encontrada gritando após arrancar os próprios olhos em uma igreja da Carolina do Sul, nos Estados Unidos. Após o trauma, ela precisou passar um período em hospitais e clínicas psiquiátricas e agora que está de volta a sua casa, conta detalhes desse “sacrifício” que realizou.

O vício começou há cerca de seis meses quando um colega de trabalho da jovem ofereceu maconha a ela, entretanto o conteúdo estava misturado com cocaína ou metanfetamina e Kaylee só descobriu após fazer uso e ter sensações diferentes das que estava acostumada. De acordo com informações do site americano “People”, ela se afastou desse colega e até pediu demissão do emprego, mas depois de um tempo foi pressionada novamente a experimentar a mesma droga e acabou cedendo, sem imaginar que arrancaria os olhos com isso.

Alucinações com Deus

Ficou por três dias acordada sob efeito da substância e gravou vídeos dela mesma neste estado. Quando voltou para casa e ficou sóbria, assistiu aos vídeos e ficou horrorizada e decidiu que não queria mais isso para sua vida. Kaylle parou de usar drogas por um período, mas passou por um momento em que se sentiu isolada e solitária e acabou apelando novamente para a metanfetamina. Com isso, passou a ter alucinações sobre seu relacionamento com Deus.

“Eu pensei que todos os que morreram estavam presos em suas sepulturas, que Deus estava sozinho no céu e que eu tinha que sacrificar algo importante para poder libertar todos no mundo para Deus”, conta sobra a alucinação. A jovem fala que o mundo dela se tornou mais escuro e ela entendeu que isso era um sinal divino para ela arrancar os olhos.

As alucinações fizeram com que ela acreditasse que Deus gostaria que ela fizesse esse “sacrifício”. “Eu empurrei meu polegar, o indicador e dedo médio em cada olho. Segurei cada globo ocular, retorci e puxei até que cada olho desencaixasse – senti como se estivesse em uma batalha, a mais difícil que já tive que enfrentar”, lembra a americana.

Uma nova chance, uma nova etapa

Quem a encontrou aos gritos foi o pastor da igreja e logo ele pediu socorro. “Ore pra mim, eu quero ver a luz, reze por mim”, implorou Kaylle ao religioso. A equipe da polícia acalmou os ânimos e a garota foi levada as presas para o hospital em uma aeronave. Os médicos acreditam que a droga que ela ingeriu foi misturada com outro produto químico, fazendo com que ela tivesse essas alucinações que a fizeram acreditar que precisava perder sua visão para entrar no paraíso.

Depois de um longo período de internação, a jovem está voltando à vida cotidiana. Kaylee está ficando cada vez melhor, mas acredita que ainda há um longo caminho para sua recuperação total. “Às vezes eu esqueço que sou cega porque sei o que está a minha volta, sei como é a casa da minha mãe. Mesmo sem os olhos, ainda consigo ver, é difícil de explicar porque nem mesmo eu entendo isso”, expõe. “Eu prefiro ser cega e eu mesma do que a Kaylee que usava drogas. Eu realmente digo isso de coração”, finaliza.

 

Imagem destacada Reprodução / Cosmopolitan

Fonte: iG

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo WhatsApp (83) 9.9166.6272.

Gilson Alves

Gilson Alves

Radialista DRT: 1.743 - PB e Jornalista DRT: 3.183 - PB. Diretor Geral do Jornal A Página.

Comentários

Loading Facebook Comments ...