Notícias Paraíba

Adriano Galdino não vê necessidades para CPI da Calvário e reafirma confiança em deputados citados

Próximo ao retorno das atividades parlamentares na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o presidente do Legislativo estadual, Adriano Galdino (PSB), reafirmou sua confiança nos deputados citados na Operação Calvário, do Ministério Público da Paraíba (MPPB).

Atualmente, 8 dos 36 deputados estaduais tiveram seus nomes citados no âmbito da operação. Entre os quais, a deputada Estela Bezerra chegou a ser presa e a deputada Cida Ramos foi alvo de mandado de busca e apreensão, ambas do PSB.

Atualmente, 8 dos 36 deputados estaduais tiveram seus nomes citados no âmbito da operação. Entre os quais, a deputada Estela Bezerra chegou a ser presa e a deputada Cida Ramos foi alvo de mandado de busca e apreensão, ambas do PSB

Mesmo entre os citados, Galdino disse não ver dificuldades com relação ao funcionamento da Casa, principalmente no que diz respeito à produção dos deputados.

– O trabalho precisa continuar e cada um dos deputados dará a contribuição para manter a governabilidade da Paraíba e da Assembleia Legislativa.

Com relação a Operação Calvário, o presidente disse confiar nos parlamentares e acrescentou que no momento oportuno ambos apresentarão seus argumentos.

– Estamos tranquilos, acreditamos na justiça, nos deputados e cada um irá provar a sua inocência e dar sua contribuição na criação de uma Paraíba mais justa e melhor para todos.

CPI

Na Casa de Epitácio Pessoa, o bloco de oposição não descarta a possibilidade de pedir a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as supostas irregularidades envolvendo deputados citados na Calvário.

No entanto, para Adriano Galdino, a instalação de uma CPI da Calvário não iria agregar em nada em relação ao trabalho que já vem sendo realizado pelo MPPB.

– Se acontecer, irei decidir de acordo com o regimento. (…) No meu pensamento, essa investigação em nada acrescenta ao trabalho do Ministério Público.

Fonte: PB AGORA.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.