Governador do Acre diz que aceita zerar ICMS sobre o combustível

Governador do Acre diz que aceita zerar ICMS sobre o combustível

O governador Gladson Cameli informou, na manhã desta quinta-feira (6), em vídeo encaminhado à Rede Amazônica, que a redução pode ser feita no estado.

Após o presidente Jair Bolsonaro afirmar, nesta quarta-feira (5), que vai zerar os tributos federais sobre combustíveis se os governadores aceitarem zerar o ICMS (imposto estadual), o governador Gladson Cameli disse que não descarta reduzir o imposto no Acre.

O governador Gladson Cameli informou, na manhã desta quinta-feira (6), em vídeo encaminhado à Rede Amazônica, que a redução pode ser feita no estado.

“Com toda certeza. Nós já provamos que existe essa possibilidade. A prova é o ICMS do querosene que nós criamos esse benefício para facilitar e ter mais voos e oportunidades de voos diurnos para o nosso estado, que baixei de 20% para 3%”, disse o governador.

Nos últimos meses, Bolsonaro vem defendendo uma alteração na cobrança do ICMS sobre combustíveis. De acordo com o presidente, o imposto é o responsável pelos altos preços cobrados na bomba ao consumidor. Os tributos federais que incidem sobre combustíveis são a CIDE e o PIS/Cofins.

Cameli disse que não pode ir contra os anseios da população e afirma que seu governo é para criar oportunidades e desenvolvimento para o estado.

“Mas, é bom deixarmos claro: para isso, temos um Confaz, que é o conselho que envolve todos os secretários de fazenda nacional, que tem passar por ele. Não é uma decisão que somente o governador tem o poder de tomar e decidir”, pontuou.

O governador disse ainda que é preciso ter cautela ao tratar do assunto.

“Temos que ver e tratar o assunto com delicadeza. É um debate que envolve milhares de famílias e eu tenho que criar oportunidades e não tirá-las. A minha posição já deixei clara, mas não depende somente do governo”, conclui.

Redução de 50%

O Sindicato dos Postos de Combustíveis do Acre (Sindepac) informou, em nota, que é favorável à redução dos impostos e que essa é a única forma de conseguir baixar os preços para os consumidores. O documento explica que a possível isenção diminuiria pelo menos metade do preço da gasolina no estado.

“A alta carga tributária no país acaba comprometendo o desenvolvimento da economia, onerando empresários, diminuindo a geração de empregos e prejudicando a população em geral. A redução dos impostos proposta pelo presidente Jair Bolsonaro é vista com bons olhos por todos os Sindicatos do setor no Brasil”, diz.

 

Fonte: CLICK PB.

Gilson Alves

Radialista DRT: 1.743 - PB e Jornalista DRT: 3.183 - PB. Diretor Geral do Jornal A Página.

Deixe seu comentário