Paraíba Política

Prefeito Romero relata no Senado crise hídrica de Campina Grande e aponta soluções

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, relatou na manhã desta quinta-feira (3), no Senado Federal, a grave crise hídrica enfrentada por Campina Grande nos últimos meses. O pronunciamento foi feito durante sessão temática   do Senado, presidida pelo senador Cássio Cunha Lima, para discutir a crise hídrica no País, sobretudo, no Nordeste.

O prefeito campinense também apresentou uma série de soluções para o enfrentamento do problema, que tanto afeta toda a população do Compartimento da Borborema.

A sessão temática do Senado, presidida pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB), reuniu representantes de ministérios e órgãos públicos tecnicamente ligados ao tema, bem como secretários estaduais e representantes de organizações preocupadas com a escassez de água no País.

Após parabenizar o senador Cássio Cunha Lima pela iniciativa, o prefeito campinense, que fez parte da Mesa dos Trabalhos, apresentou na tribuna um sucinto quadro das dificuldades da região por conta da estiagem prolongada e da crise hídrica. Segundo ele, dos 223 municípios paraibanos, 195 estão em situação de emergência, havendo, por conta do fenômeno El Niño, a tendência de agravamento do problema hídrico. Lembrou, ainda, que o açude responsável pelo abastecimento de Campina Grande, em Boqueirão, conta com menos de 14% da sua capacidade total.

“Infelizmente, apesar deste quadro, não há plano de contingência para Campina Grande, o município do Nordeste que mais apresenta dificuldades no atual cenário de seca. Além disso, a nossa pouca água deve passar pelo crivo do próprio Ministério da Saúde, pois devido a sua baixa qualidade, o consumidor corre o risco de ficar doente, mesmo porque apenas 42% do nosso povo tem acesso à água mineral”, destacou.

Segundo ele, apesar das atuais dificuldades, a prefeitura municipal tem executado algumas obras e ações par enfrentar o problema, tais como construção de cisternas, barragens subterrâneas, uso de carros pipa, compra de perfuratriz e muitas outras iniciativas. Romero, contudo, destacou a necessidade de mais providências para o atual contexto de dificuldades.

O prefeito sugeriu, então, ao governo federal a atualização do seu portal da transparência para o acompanhamento da liberação de recursos em favor das áreas mais seca do Nordeste; implantação de estações de tratamento móvel de água; distribuição de alimentos por parte da Conab; convênios para a perfuração de poços e implantação de dessalinizadores, além de solicitar a continuidade das atividades do Instituto do Semi-Árido (Insa), ameaça de encerrar as suas atividades em Campina Grande.

Para Romero Rodrigues, a solução definitiva será a conclusão do projeto de transposição das águas do Rio São Francisco, porém, em caráter emergencial, advogou a necessidade implantação de adutora de engate rápido, a exemplo do que já foi feito na região do Pajeú, no interior de Pernambuco. “Isto seria uma solução mais rápida e mais barata que a transposição”, alertou.

Por fim, ele lamentou que o mau gerenciamento dos recursos hídricos em Campina Grande, pois na cidade registra-se um desperdício d’água da ordem de 40%. Conforme explicou, 78% do esgoto de Campina Grande é coletado, mas apenas 7% é tratado, inviabilizando-se o seu reuso em indústrias ou na conservação de praças e canteiros.

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo número do WhatsApp (83) 9.98846.4407.

Brenow Muniz
Brenow Muniz
Paraibano da cidade de João Pessoa, estudante de Radialismo pela UFPB. Começou no Portal Livre, onde se tornou chefe de redação e reportagem. Passou pela TV UFPB, onde exerceu as funções de roteirista de programação e editor de imagens, e na Rádio Sanhauá, onde atuou como produtor e repórter. Atualmente é repórter político no Jornal A Página.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.