Economia e Negócios Notícias Paraíba

Vendas de Natal: Procon-JP inicia fiscalização no comércio da Capital

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) já está em campo no comércio de João Pessoa com a operação “Natal Consciente”. A equipe de Fiscalização começou nesta quinta-feira, 3 de dezembro, a visitação às lojas do centro e dos shoppings da cidade com o objetivo de verificar se os estabelecimentos comerciais estão cumprindo o que prevê a legislação que regula a relação consumerista.

As festas do final de ano provocam o aumento do consumo e a intenção da operação Natal Consciente é evitar que os fornecedores de bens e serviços cometam excessos. Os fiscais da secretaria estão verificando se os estabelecimentos estão cumprindo a legislação em vigor, como a disponibilização, em local visível, de um exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC), do número do telefone do Procon-JP, dos preços dos produtos e serviços, além da fácil identificação da publicidade das promoções, entre outras leis.

O secretário Helton Renê informa que, a princípio, os fiscais do Procon-JP farão a verificação do cumprimento da legislação e, caso o estabelecimento não cumpra a notificação da adequação, a Secretaria fará a autuação. “Os fiscais chegam às lojas munidos de material que traz informações sobre as leis, a exemplo da 10.962/2004, que versa sobre as condições de oferta de produtos e afixação de preços de bens e serviços. No caso de reincidência, o fornecedor será autuado”, disse.

Alerta – O titular do Procon-JP esclarece que os consumidores devem exigir que os valores dos produtos sejam afixados com clareza, em local visível, conforme prevê o artigo 31 do CDC. A política de troca de produtos também é uma garantia prevista na legislação. “A operação Natal Consciente vai ocorrer até o final do ano, mas é importante que o cliente fique atento e faça sua parte. Estamos monitorando o comércio de João Pessoa para coibir abusos e se o consumidor verificar alguma irregularidade, pode nos procurar em nossa sede, na Avenida D. Pedro I, nº 473, Tambiá, ou ligar para o 0800 083 2015”, informou Helton Renê.

Fique atento às leis:
– 12.291/2010 (federal) e l 8.686/1998(municipal) tornam obrigatória a manutenção do exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC) nos estabelecimentos comerciais e de fornecedores de serviços
– 8.304/1997 (municipal) e 10.421/2015(estadual) obrigam aos fornecedores de bens e serviços a afixarem em local visível o número do telefone do Procon-JP
– 118/94 (portaria federal) prevê que não poderá haver diferença de preços entre transações efetuadas com o uso do cartão de crédito, cheques ou dinheiro
– 5.903/2006 (decreto federal) dispõe sobre as práticas inflacionais que atentam contra o direito básico do consumidor de obter informação adequada e clara sobre os produtos e serviços
– 8.846/1994 (lei federal) dispõe sobre a emissão de documentos fiscais e o arbitramento da receita mínima para efeitos tributários
– 9.489/2011 (lei estadual) dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos manterem guichês adequados à altura e condizentes às necessidades das pessoas portadoras de deficiência
– 12.622/2013 (lei municipal) proíbe aos fornecedores substituir por mercadorias o troco devido aos consumidores
– 8.078/19990 (lei federal) dispõe sobre a obrigatoriedade da informação correta, clara, objetiva e em língua portuguesa da publicidade das promoções.

 

Informações com Secom-JP

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo número do WhatsApp (83) 9.98846.4407.

Brenow Muniz
Brenow Muniz
Paraibano da cidade de João Pessoa, estudante de Radialismo pela UFPB. Começou no Portal Livre, onde se tornou chefe de redação e reportagem. Passou pela TV UFPB, onde exerceu as funções de roteirista de programação e editor de imagens, e na Rádio Sanhauá, onde atuou como produtor e repórter. Atualmente é repórter político no Jornal A Página.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.