Política

Vereador José Pereira lamenta excesso da oposição e afirma que casa do povo deve ser respeitada

RESTABELECIMENTO DA VERDADE:

NOTA

O vice-presidente da Câmara de Vereadores de Cabedelo, José Pereira, diante das acusações infundadas lançadas por alguns vereadores da oposição vem por meio desta nota, com base no art. 2º da Lei Federal nº 13.188, de 11 de novembro de 2015, que dispõe sobre o direito de resposta ou retificação do ofendido em matéria divulgada, publicada ou transmitida por veículo de comunicação social, requerer o Direito de Resposta com vista a restabelecer a verdade dos fatos, nos termos abaixo:

1) Inicialmente, esclarece-se que compete ao presidente da sessão a direção dos trabalhos legislativos, com vista a prover uma ordenação e regulação, cabendo ao mesmo o dever de interromper o orador que se desviar da questão objetivada, advertindo-o que no caso de insistência lhe cassará a palavra, nos termos estabelecido no Regimento Interno:

2) Após o debate de TEMAS LIVRES, foi apresentado um requerimento, e baseado no que determina nosso regimento, abriu-se a fase de debates sobre o referido tema, o regimento é claro ao determinar que ao debater um requerimento não se pode discutir outro assunto, é para isso que existe o debate de temas livres, que já havia sido oportunizado a todos.

3) Ocorre, porém, que o Exmo. Sr. Vereador Herlon, ao invés de formular soluções a matéria apresentada, de maneira tresloucada e sem a menor cortesia para com os demais vereadores que estavam empenhados no assunto, começou a desvirtuar o tema proposto e a desferir discursos contraditórios e desrespeitosos, a partir de então pela garantia da ordem e do cumprimento das normas da casa, o vereador foi advertido por duas vezes de seus excessos, mas não deu a menor importância ao regimento e continuou com falas desvairadas.

4) Portanto, diante dessa situação, não restava à Presidência Legislativa, nos termos impostos no regimento da Casa, outra obrigação senão interromper o Exmo. Sr. Vereador Herlon, face ao desvio da questão que fora apresentada.

5)Todos vereadores que fizeram um juramento, sabem das regras do
Regimento Interno do Poder Legislativo Municipal, sabendo perfeitamente que a
presidência da sessão não cometeu nenhum exagero, pelo contrário, agiu corretamente, como manda o Regimento, garantindo a ordem dos trabalhos na Casa Legislativa.

6) É preciso salientar, ainda, que a condução dos trabalhos do Legislativo não teve e não tem qualquer interferência do Poder Executivo, como tenta transparecer vereadores de oposição, tentando criar uma imagem de subserviência ou de truculência da bancada governista ou dos que estão na condução dos trabalhos do Legislativo.

Leia mais notícias em www.jornalapagina.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e em breve veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode comunicar erro ou enviar informações à Redação do Jornal A Página pelo número do WhatsApp (83) 9.98846.4407.

Weslley Lino
Jornalista, social media e assessor de comunicação.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.